Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

quarta-feira, 26 de julho de 2017

● Deputado Priante pode ser o novo Ministro das Cidades - Com um orçamento robusto de R$ 20 bilhões para este ano, Cidades é considerado uma pastas com muito dinheiro para estar nas mãos de um tucano

● PMDB PEDE A TEMER PASTA DE TUCANO - Bancada peemedebista na Câmara pressiona Palácio do Planalto a nomear deputado do partido como ministro das Cidades, cargo ocupado pelo tucano Bruno Araújo.  
BRASÍLIA - Com o presidente Michel Temer fragilizado pela votação na Câmara da denúncia contra ele por corrupção passiva, a bancada do PMDB na Casa pressiona o Palácio do Planalto a nomear um deputado do partido como ministro das Cidades, cargo hoje ocupado pelo deputado licenciado Bruno Araújo, do PSDB. 
A reclamação dos peemedebistas é de que a bancada está "sub-representada" no governo e que o PSDB não merece comandar uma pasta de tamanha capilaridade política como Cidades, diante das críticas a Temer e ameaças de desembarque da base aliada que tucanos têm feito desde que a delação da JBS atingiu o presdente.
O líder do PMDB na Câmara, deputado Baleia Rossi (SP), já levou o pedido da bancada ao presidente Michel Temer. Segundo apurou o Estado/Broadcast, peemedebistas querem que Temer nomeie um deputado do partido para a pasta durante a reforma ministerial que pretende fazer após a votação da denúncia, marcada para 2 de agosto.
"Se houver alguma mudança ministerial, a bancada tem expectativa de se fortalecer", afirmou Rossi. Hoje, o PMDB comanda seis dos 28 ministérios existentes no governo Temer. Desses, três são comandados por deputados: Esportes, com Leonardo Picciani (RJ); Turismo, com Marx Beltrão (AL), e Desenvolvimento Agrário, com Osmar Terra (RS).
A um ano e dois meses das eleições gerais de 2018, a bancada reclama que a maioria dos ministérios que comanda não dá margem para uso político. Com um orçamento robusto de R$ 20 bilhões para este ano, Cidades é considerado uma das pastas com maior capilaridade. 
Na bancada do PMDB, pelo menos dois nomes são defendidos para substituir Bruno Araújo: o do deputado Carlos Marun (MS), vice-líder da sigla e um dos mais aguerridos defensores de Temer na Câmara, e o do deputado José Priante (PA). Peemedebistas mineiros também têm interesse em indicar um representante para o cargo.
Procurado, Marun negou pleitear a vaga e disse que seu desejo é que PSDB continue no governo. Ressaltou, porém, que tem currículo para assumir o posto. "Fui membro do Conselho Nacional das Cidades por mais de dez anos e possuo um relacionamento antigo com movimentos sociais de habitação", disse. A reportagem não conseguiu contato com Priante. 
O comando do Ministério das Cidades também é pleiteado pelo Centrão, grupo de partidos médios da Câmara, com retribuição por terem dado 100% dos votos a favor de Temer na votação da denúncia na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). O bloco quer ainda indicar o substituto do ministro Antonio Imbassahy (PSDB) na Secretaria de Governo.
Placar do Estado mostra que, dos 63 deputados do PMDB, 25 não quiseram responder se votarão pela aceitação ou não da denúncia e sete se disseram indecisos. Outros 28 disseram que são contra e três, favoráveis ao prosseguimento da denúncia contra o presidente. (Estadão Conteúdo - Igor Gadelha e Renan Truffi, O Estado de S.Paulo)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fique a vontade para comentar o que quiser, apenas com coerência e sem ataques pessoais.